Policia em Campo Maior não tem as minimas condições de trabalho



16/02/2011 - 12:02

Situação da segurança é de falência total. Falta gasolina, material humano e um dos DPs de Campo Maior está interditado há quase um ano.

Continua a peregrinação da policia Civil de Campo Maior por combustível para as viaturas. A reportagem do Campo Maior Em Foco apurou que os dois únicos veículos da civil estão sendo abastecidos pelos próprios policiais ou com a ajuda de terceiros. O fornecimento de gasolina por parte do governo está suspenso.

Policia em Campo Maior não tem as minimas condições de trabalhoPolicia em Campo Maior não tem as minimas condições de trabalho

A cidade tem apenas dois veículos: um do 1º DP e outro da delegacia regional, que responde por várias cidades. Os policias chegam a colocar de R$ 30,00 de gasolina, tirando do próprio bolso ou com a ajuda de terceiros. A informação é que empresa que repassa os vales-gasolina suspendeu por que o governo estaria com pagamentos atrasados.

DELEGACIAS INTERDITADAS E INDICIOS DE DINHEIRO DESVIADOS

A delegacia do 2º Distrito funciona numa casa sem a menor condição de abrigar presos. Tanto que pela falta de estrutura, o local foi interditado pela justiça ainda em junho de 2010. As argumentações do Juiz da 1º Vara de Campo Maior, Dr. Edson Alves, era que o local apresentava inúmeras irregularidades: falta de ventilação, calor insuportável, infiltrações, paredes com reboco caindo, entre outros.

Depois de denúncia aqui no Campo Maior Em Foco, o então deputado estadual, Paulo Martins (PT) conseguiu imediatamente junto a Wellington Dias, a importância de R$ 200 mil reais para reforma do local. A ambiente tem medidas de uma casa comum e certamente esse dinheiro daria para construir de duas a três casas do mesmo tamanho.

Policia em Campo Maior não tem as minimas condições de trabalho

No primeiro DP a situação não é tão diferente. O Campo Maior Em Foco mostrou a todo o Piauí, em pleno início de campanha eleitoral do ano passado, a situação caótica do local. Forro com infiltrações e caindo, portas que não fecham, banheiro que não funciona, celas imundas, gambiarras elétricas e hidráulicas, entre outras. As fotos foram reproduzidas por sites do Piauí inteiro.

Depois da denúncia, novamente Paulo Martins conseguiu que o telhado fosse retocado e parte do forro concertado. A reforma não teve o valor divulgado, mas se levar em conta a reforma do segundo distrito... Vale ressaltar que dezembro de 2009, o então Secretário de Segurança, Robert Rios, já havia anunciado que existia recursos na ordem de R$ 256 mil reais para reconstrução total do prédio.

FALTA AGENTES E INVESTIGADORES
A situação caótica não é somente com relação à estrutura física e de transportes. Está faltando também material humano. Um policial chegou a confirmar ao Campo Maior Em Foco que um único agente é responsável pela carceragem dos presos, atender telefone, ser recepcionista, registrar ocorrências, levar presos para audiências e até levar café aos presos.

Os agentes reclamam também que faltam investigadores. "Se acontecer um crime na região precisa vir alguém de Teresina para investigar, por que aqui não tem" desabafa um agente. O delegado e os policiais é que fazem o papel de investigador.

Fonte:campomaioremfoco.com

 

Fonte: