PRF faz operação após mapear 47 pontos de exploração sexual no PI


08/10/2010 - 10:10

A Polícia Rodoviária Federal fez um levantamento dos pontos de exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias federais do Brasil. Dos 1.800 locais de vulnerabilidade, o Piauí possui 47. Isso significa que o Estado está na 12ª colocação entre aqueles com maiores riscos. A PRF anuncia que vai fazer uma operação de combate à prostituição de crianças e adolescentes.

Pontos de prostituição infantil no Piauí

O primeiro colocado é a Bahia, com 117 pontos críticos. Nas rodovias piauienses, 10 pontos estão na zona rural e 37 em zona urbana. Nove pontos são considerados de alto risco, dentre eles o balão da Tabuleta (BR-316 com BR-343), zona sul de Teresina; balão do Tancredo Neves (BR-343), zona sudeste de Teresina; e o Posto Magnólia (BR-316 com BR-343).

DPRF fiscaliza denuncias de prostituição infantil

Nesses pontos pode-se presenciar o fato apesar do levantamento da PRF não divulgar mais os locais exatos de risco. "No levantamento, não são mais especificados os pontos de risco para que os infratores não migrem", explica o inspetor Francisco das Chagas Lopes Sobrinho.


Ainda segundo o levantamento, as crianças exploradas possuem de 7 a 16 anos. Dentre as características desses pontos de risco o relatório aponta que são locais iluminados, onde existe consumo de bebida alcoólica, falta de atuação dos conselhos tutelares e grande fluxo de pessoas.


"Nossa equipe de inteligência faz o monitoramento dessas áreas onde pode acontecer o aliciamento de menores. Como nosso objetivo é preservar a criança e o adolescente, assim que é detectado um possível aliciamento, o núcleo tático é chamado para agir. Isso acontece tanto na capital como no interior", diz o inspetor.


A divulgação da existência do crime no próprio local onde acontece inibe a ação dos aliciadores, ainda segundo o inspetor. "Num posto de combustíveis, por exemplo, nós informamos ao Ministério do Turismo que ali é um possível ponto e isso é espalhado para todos que frequentam o local. As pessoas de bem deixarão de frequentar e isso não é bom para os negócios do estabelecimento. Por isso, a tendência é combater a prática do crime no local", explica.


Como denunciar


Além do Disque 100, a PRF disponibliza também os números 191 e 3233-1011 para que as pessoas façam denúncias sobre exploração.

 

 

Fonte:
Bookmark and Share