Cresce 318% a população com curso superior no Piauí



29/04/2012 - 17:04

O número de pessoas com curso superior no Piauí aumentou 318% entre os anos de 2000 e 2010. Os dados fazem parte dos Resultados Gerais da Amostra do Censo 2010, divulgados ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. A maior parte desta população encontra-se em Teresina.

Em 2010, apenas 31.758 pessoas tinham ensino superior completo. Em dez anos, esse número saltou para 132.757. Apesar do aumento de mais de 300% neste período, este total representa apenas 5,11% da população piauiense com dez anos ou mais de idade.

"A evolução é resultado da descentralização dos polos das universidades privadas e chegada das instituições particulares nas principais cidades do estado nos últimos anos", analisa o supervisor de informações do IBGE, Pedro Soares, referindo-se aos municípios de Teresina, Picos, Corrente, Floriano, Bom Jesus e Parnaíba. Na capital do Estado, por exemplo, mais de 10% da população encontra-se neste grupo.

Enquanto, nessas seis cidades, houve um aumento significativo do número absoluto de habitantes com ensino superior completo; nos outros 218 municípios, esse número é inferior à média estadual. Os motivos, segundo Soares, é que, nessas regiões, ainda há uma carência de universidades ou a sua população não possui meios de se descolar até um centro mais próximo. "Quem mora em cidades menores não tem acesso ao ensino superior. As universidades se concentram hoje nos grandes centros", comentou.

Outro número que chama a atenção no quesito educação é quanto ao número de piauienses sem instrução e com ensino fundamental incompleto. Em 2010, de acordo com o Censo 2010, são 1.626.674 habitantes com dez anos ou mais. É nesse grupo que se concentra a maior parte da população do Piauí.

Nos 26 estados e Distrito Federal, o número de pessoas com pelo menos o curso superior também aumentou. Em 2000, eles representavam apenas 4,4%. Dez anos depois, esse número pulou para 7,9%.

 

Número de crianças e jovens que não frequentam escola caiu

O número de jovens e crianças que frequentam as salas de aula no Piauí aumentou entre os anos de 2000 e 2010. No grupo que comporta a faixa de 15 a 17 anos, o Estado se aproxima do Rio de Janeiro e Distrito Federal, que possuem os menores percentuais de jovens que não frequentam escola.

De acordo com o IBGE, a população está dividida em oito grupos de faixa etária. Uma delas é a de 7 a 14 anos, onde se concentra 477.937 piauienses. Desse total, apenas 2,4% estão foram das salas de aula. Esse percentual coloca, de acordo com o IBGE, o Piauí em posição de destaque junto com Minas Gerais, Distrito Federal e Paraná. No Nordeste, 3,2% da população deste grupo não frequentam a escola.

Um dos grupos onde há mais índice de pessoas que não frequentam escola é o que engloba a faixa de 15 a 17 anos de idade. No Piauí, 14,5%, dos 184.255 dos seus integrantes, estão foram das salas de aula. A média nacional, de acordo com os dados de 2010, é de 16,7%.

"Esse percentual coloca o Estado próximo do Rio de Janeiro e Distrito Federal, que apresentam as menores médias de habitantes com idade de 15 a 17 anos que não frequentam a escola. Temos que levar em consideração ainda que, ao contrário do Piauí, os dois estados não possuem zonas rurais. Aqui, muitos jovens deixam a sala de aula para trabalharem no campo", disse o supervisor de informações do IBGE, Pedro Soares. Rio de Janeiro e Distrito Federal apresentam, segundo dados divulgados hoje, 13,1% e 11,6%, respectivamente, de estudantes fora da sala de aula nessa faixa etária.

De acordo com o Censo 2010, a maior parte dos estudantes do Piauí está na rede pública de ensino. Do total de 1.106.306 pessoas, 934.969 estavam matriculadas, naquele ano, nas escolas ou creche da rede estadual ou municipal, o que representa 84,54%.

 

 

Fonte: Jornal O Dia

 

Fonte: