Vice Presidente do país Michel Temer admite desprestígio do PI e diz: "Agora é a vez do Estado"



27/04/2012 - 07:04

Em seu discurso na Assembleia Legislativa após receber o título de cidadão piauiense, o vice-presidente da república, Michel Temer, admitiu que o Piauí está sendo desprestigiado pelo Governo Federal e que se empenhará para mudar esta realidade, sobretudo na construção de um gasoduto.

O governador Wilson Martins fez um apelo a Temer para que ele ajude o Piauí a trazer uma grande empresa de mineração para o estado e citou que o presidente do Senado José Sarney conseguiu levar as empresas de Eike Batista para o Maranhão.

Presidente do país Michel Temer admite desprestígio do PI e diz: "Agora é a vez do Estado"Presidente do país Michel Temer admite desprestígio do PI e diz: "Agora é a vez do Estado"

"Pesquisas apontam que o Piauí e o Maranhão possuem grandes reserva de gás no subsolo e é preciso construir um gasoduto, que tanto sonhamos, para escoar a produção", declarou o governador, relembrando que ao todo, são 20 lotes a serem explorados, 13 deles no Piauí e sete no Maranhão. Wilson Martins disse ainda que é preciso que a presidente Dilma Rousseff libere a perfuração de poços. "Entretanto, o orçamento da Petrobras não prevê investimentos para o Piauí e é preciso atrair montadoras e empresas-âncoras para o estado", acrescenta.

Segundo o governador, além do gás natural e do petróleo, o Piauí possui a quarta maior reserva de minério de ferro do país. "O Piauí está equilibrado financeiramente mas precisa de investimentos", concluiu.

 

Novo piauiense


O vice-presidente Michel Temer admitiu que o Piauí tem sido desprestigiado pela gestão federal e afirmou que agora "é a vez do Piauí". Ele prometeu levar as reivindicações do gasoduto à presidente Dilma Rousseff.

"Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte tem recebido recursos e o Piauí não tem recebido verba de grande porte nem na área pública nem privada. Agora é a vez do Piauí e vou advogar a tese do estado", garantiu.

Temer afirmou que utilizará como argumento junto a presidente que o Piauí tirou 500 mil pessoas da área de extrema pobreza para a classe média e isso gera consumo no estado. "Eu acabo de receber uma lição de patriotismo com o discurso do governador e do deputado Marllos (Sampaio) em defender as causas do Piauí. Este título de cidadania que recebo é uma cobrança do estado para que eu preste serviço", pontua.

 

 

Fonte: