Bandidos assaltam Banco do Brasil em Miguel Alves


Bandidos assaltam Banco em Miguel Alves

24/02/2011 - 11:02

A Polícia de Miguel Alves informou no início da tarde de hoje (24) que seis pessoas saíram feridas no assalto a agência bancária da cidade. Três deles foram trazidos para Teresina, os outros três permanecem no hospital de Miguel Alves. Homens fortemente armados invadiram o Banco do Brasil por volta das 9h30 da manhã, houve tiroteio causando pânico entre os clientes.

Um farmacêutico que estava fora do banco foi atingido com um tiro no olho e corre o risco de perdê-lo. Outro disparo atingiu o pé de uma cliente dentro do estabelecimento.

Bandidos assaltam Banco em Miguel AlvesBandidos assaltam Banco em Miguel Alves

Bandidos assaltam Banco em Miguel AlvesBandidos assaltam Banco em Miguel Alves


Francisco da Silva, Denilson Coelho, Antônio Lázaro Vieira e Hélio Borges foram presos acusados de participação no assalto e foram reconhecidos por alguns clientes do BB. A população ameaçou linchá-los.

A polícia informou ao Cidadeverde.com que Denilson Coelho é acusado também de participar do assalto à casa do jornalista Elivaldo Barbosa, além de trocar tiros durante um assalto a uma agência bancária no município de Barras, em que o delegado Carlos César Camelo saiu ferido. Também é acusado de participar do assalto ao Comercial Carvalho, no qual foi levado mais de um R$ 1 milhão.

Máscara do pânico


De acordo com a Polícia, a quadrilha entrou no Banco do Brasil usando máscaras do personagem do filme de terror "Pânico" e armados de escopeta. A polícia suspeita de que o bando estivesse esperando o carro-forte da empresa, que por motivos técnicos, chegou à empresa somente após o assalto.

Bandidos assaltam Banco em Miguel AlvesBandidos assaltam Banco em Miguel Alves

Bandidos assaltam Banco em Miguel AlvesBandidos assaltam Banco em Miguel Alves

A caminhonete L200 vermelha foi encontrada em Capitão de Campos, municipío localizado a 30km de Miguel Alves. O carro havia sido queimado.

Com os suspeitos foi achado apenas um colete à prova de balas. Não foram achadas as armas e o dinheiro roubado. Eles foram reconhecidos pelos moradores de Matias Olímpio como vendedores de CDs.

 

 

Fonte: